terça-feira, 21 de novembro de 2017

Cobrada por ISPs, Eletronorte promete iniciar vendas em dezembro

DEPENDENDO EXCLUSIVAMENTE DA OPERADORA ESTATAL, PROVEDORES DA REGIÃO TRANSAMAZÔNICA ESTÃO ESTAGNADOS E FORMAM ASSOCIAÇÃO PARA COBRAR AGILIDADE NA OFERTA DE BACKBONE
Provedores de acesso à internet que atuam na região transamazônica estão esperando, há cerca de um ano, que a Eletronorte atenda seus pedidos de capacidade de rede. Essas operadoras dependem exclusivamente da operadora estatal para acesso a backbone de fibra óptica e estão estagnadas, todo esse tempo, sem ter como ampliar suas redes locais – uma vez que a Eletronorte não está comercializando novos trechos.
“Mais do que estagnados, estamos tendo prejuízos, uma vez que, embora a gente não coloque novos clientes nas nossas redes, as infraestruturas não estão mais atendendo as necessidades dos perfis de usuários, que aumentaram a demanda por banda. Ou seja, além de não aumentar a capacidade, a que existe está ficando insustentável”, diz José Selestino Trevisan Jr., dono do provedor Interlig, em Uruará (Pará), e um dos articuladores da nova organização de provedores locais.
Está sendo fundada, ainda este mês de novembro – com assembleia prevista para o próximo final de semana – a Associação Paraense dos Provedores de Acesso à Internet e Telecomunicações (Appit), que já agrega 14 empresas. “Devemos chegar a cem afiliados”, estima Selestino. “A proposta da associação é lutar pela redução da burocracia no segmento, brigar por melhores preços. E vamos começar por esse embate com a Eletronorte, que está nos impedindo não apenas de crescer, mas de trabalhar”, ressalta ele.
Dono da Auto Serviço, que opera n oeste do Pará, Marcos Antônio Pereira engrossa o coro dos indignados: “Inicialmente, tinham nos prometido uma ampliação do backbone para maio, depois passou para novembro. Mas já mandamos vários e-mails solicitando uma posição e não temos resposta”. Pereira conta que os clientes, insatisfeitos com a baixa qualidade do serviço de um provedor, correm para outro. “E ficam assim, pulando de uma empresa para outra, o que não resolve o problema. Porque todos nós temos infraestruturas bem montadas. O que falta é banda”, desabafa.
Um avanço em relação ao início do ano, quando as operações estavam totalmente paradas, a Eletronorte realizou, em outubro, uma ampliação de sua rede. Fala-se em um aumento de capacidade em torno de 30 GB, mas a própria operadora não sabe dizer exatamente qual foi essa ampliação. No entanto, após as obras, ainda há um longo caminho a percorrer, até que os ISPs possam fazer suas aquisições.
De acordo com Kátia Bernardo Esteves, do Departamento de Comercialização de Telecom da operadora estatal, neste momento está sendo fechado o modelo de comissionamento da operação e as vendas vão se iniciar em dezembro: “Vamos apresentar para a diretoria os critérios para a comercialização e depois de aprovados é que vamos começar a atender os pedidos”.
Kátia explica que a Eletronorte quer atender os provedores de forma isonômica, estabelecendo valores máximos de capacidade para cada provedor, de forma a pulverizar o fornecimento. “Todos os dias, recebemos uns 20 e-mails de provedores, um querendo 5 GB, outro querendo 10 GB. Não podemos suprir toda essa demanda, é preciso estabelecer um teto”, informa.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Polícia Civil faz prisão por crime ambiental em Rurópolis

A Polícia Civil e o Instituto Brasileiro do Meio-Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) prenderam, nesta quinta-feira, 16, durante um patrulhamento ambiental, Rai Douglas Poncheo de Freitas, de 28 anos, em Rurópolis, oeste paraense. O acusado foi preso por reter em cativeiro pássaro da fauna silvestre sem autorização legal. O delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Unidade Integrada Propaz do município, relatou que o acusado fugiu no momento que os agentes tentaram abordá-lo.
Rai Douglas Poncheo estava em uma motocicleta e transportava o pássaro em uma gaiola. "Ao ser dado voz de prisão, o suspeito fugiu em alta velocidade, porém foi alcançado próximo ao Parque de Exposições Agropecuárias", relata o agente policial. Ao ser capturado, o acusado se recusou se identificar e foi encaminhado à Delegacia local.
Em depoimento, Rai Douglas Poncheo, afirmou não possuir a documentação legal da ave e que ele mesmo foi o responsável por capturar o pássaro da natureza. O acusado irá responder por crime ambiental, direção perigosa e recusa de fornecer dados sobre a própria identidade, além de pagar multa de 500 reais.

MINISTRO HELDER EM PLENA CAMPANHA ELEITORAL, DESAFIA A JUSTIÇA E CONTINUA SOLTANDO CHEQUES SEM FUNDO.

NO MUNICÍPIO DE URUARÁ O MINISTRO DEU UM 
CHEQUE SEM FUNDO DE TRÊS MILHÕES PARA ASFALTAMENTO.
Em plena campanha a governador, o ministro Helder Barbalho foi flagrado neste fim de semana, entregando outros cheques sem fundo (em valor real) para vários prefeitos do interior do Pará. Além de não ter caído nenhum centavo nas contas das prefeituras, dos cheques que o ministro deu a dias atrás, a visita do ministro acaba dando prejuízo aos cofres públicos, pois além dos assessores, Helder leva diversos deputados para almoçar na conta do erário municipal.
No Diário do Pará e no DOL as manchetes são sempre do tipo "Helder inaugura...; Helder consegue verbas...; Ministro Helder doa cesta básica...; Helder doa caminhões de lixo....". Entendeu como querem criar uma liderança? O atual ministro da integração usa todo o aparato que tem a sua disposição para viajar pelo interior do estado - inclusive há denúncias de uso do jato da FAB - em plena campanha para 2018, usando também descaradamente, seu império de comunicação para reverberar o que faz pelo estado.
A situações explícitas de campanha antecipada. Sem medo de qualquer punição, desafiando o TRE, TSE, MP... Ou será com complacência? O povo paraense merece uma resposta à altura das autoridades de controle.
BARBALHADA
O ex-prefeito de Ananindeua Helder Barbalho, confiante que será o novo governador do Pará (colocando novamente o Estado nas mãos da própria família, após 35 anos fora do governo).
Usa e abusa da retórica e das mordomias do cargo que ocupa como Ministro do governo Temer, para viajar aos quatro cantos do Pará, inaugurando até casa de cachorro em flagrante e imoral campanha extemporânea, sem que a Justiça eleitoral tome qualquer tento.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Prefeitos e prefeitas paraenses vão à Brasília em busca de apoio para enfrentar crise

Na próxima semana, os gestores municipais se reúnem em extensa programação de mobilização em Belém e em Brasília. A iniciativa é organizada pela Confederação Nacional dos Municípios, Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (Famep), Associações e Consórcios Regionais, que buscam apoio contra a crise econômica enfrentada pelos municípios.
Os prefeitos e prefeitas paraenses iniciam sua mobilização no dia 20, com participação na Audiência Pública sobre o Programa “Luz para Todos”, na Assembleia Legislativa do Pará. O programa é visto
como estratégico para o desenvolvimento do estado, e a ampliação da iniciativa foi uma das demandas apresentadas pelos gestores paraenses durante a I Marcha a Belém em Defesa dos Municípios Paraenses, realizada em março.
À tarde, todos se reúnem na sede da Famep para uma reunião preparatória da viagem à Brasília. Na terça-feira (21), já na capital brasileira, os prefeitos e prefeitas terão um agenda intensa de encontros, com destaque para a reunião com a Bancada Paraense, às 17h, no Congresso Nacional. Com os parlamentares, eles buscam apoio para as principais matérias que tramitam na casa, além de apoio para a garantia de apoio financeiro extra aos municípios a ser repassado ainda este ano.
Já no dia 22, os gestores participam no Congresso Nacional da Sessão Municipalista, na qual os legisladores garantiram que vão votar matérias importantes e vetos que são essenciais para a melhor administração dos municípios. Um exemplo é o Encontro de Contas que vai permitir maior transparência nas dívidas das Prefeituras com a União.
Há também expectativa para que entre em pauta a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 29/2017, que prevê o aumento de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), fonte de sobrevivência para as pequenas cidades.
Reação – “Pretendemos garantir um apoio maior aos municípios. Juntos, vamos tentar sensibilizar e pressionar o Executivo e o Legislativo em busca de alternativas que nos permitam ter independência fiscal. Atualmente, os municípios estão com dificuldades de fechar a folha de pagamento, garantindo os salários dos servidores e os pagamentos dos prestadores de serviço. A situação é crítica em todos os municípios, sobretudo os de pequeno porte”, destaca o presidente da Famep, Xarão Leão.
Para o prefeito de São Domingos do Araguaia e presidente da Amat - Carajás, Pedro Paraná o momento é de união. “Não podemos mais ficar esperando um pelo outro para agir, pois estamos sofrendo o mesmo problema”, afirma.
Uma oportunidade para chamar mais atenção aos municípios. É assim que o prefeito de Cachoeira do Ararí, Jaime Barbosa, avalia a mobilização. “Vejo nessa ação a grande oportunidade de conseguirmos o tão esperado Auxílio Financeiro aos Municípios. Precisaremos apenas mostrar a triste realidade que estamos vivendo. Municipalismo forte e respeitado é o que queremos e merecemos”, declara.

MP Eleitoral vai recorrer de decisão que julgou improcedente processo contra Helder Barbalho

Processo trata do uso de veículos de comunicação da família 
Barbalho para propaganda irregular. Julgamento aconteceu nesta quinta-feira (16), no TRE do Pará
O Ministério Público Eleitoral vai recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE) que, por cinco votos a um, considerou improcedente as acusações de abuso de poder econômico nas eleições de 2014 contra Helder Barbalho, Joaquim Lira Maia, Jader Barbalho Filho e Camilo Centeno. O julgamento aconteceu nesta quinta-feira (16). 
O relator do processo, desembargador Roberto Gonçalves de Moura, apresentou votou parcialmente favorável à tese do MP Eleitoral, excluindo apenas Lira Maia das acusações, mas os outros cinco integrantes do tribunal votaram integralmente a favor dos acusados. O MP Eleitoral tem prazo de três dias para recorrer, a contar do dia em que o processo for devolvido pelo TRE.
Para o MP Eleitoral, os acusados utilizaram-se das empresas de comunicação pertencentes à família Barbalho – muitas delas concessões públicas de rádio e televisão – para favorecer a chapa do candidato ao governo do Pará Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho e da deputada federal Elcione Zaluth Barbalho. O candidato a vice-governador era Lira Maia, também acusado de abuso de poder econômico. 
O MP pediu a condenação dos candidatos e também dos diretores das emissoras utilizadas na campanha deles – Sistema Norte de Comunicação, Diário do Pará, Rádio Clube do Pará, DOL, Sistema Clube do Pará de Comunicação, Intelcom, Telecomp, Carajas FM e Rede Brasil Amazônia de Televisão – e que fossem tornados inelegíveis pelo prazo de oito anos a contar da eleição em que cometeram os abusos. 
Defesa - Em sua defesa, Helder Barbalho e Lira Maia alegaram que a participação societária do primeiro no grupo de comunicação não lhe dá poderes de interferir no conteúdo da programação veiculada. Já Camilo Centeno e Jader Barbalho Filho alegaram que não houve qualquer mudança na rotina dos trabalhos das emissoras de comunicação que dirigem. Mesmo a entrevista concedida pelo senador Jader Barbalho no dia das eleições no horário matinal da Rádio Clube, segundo os acusados, estaria revestida de legalidade. 
Para o MP Eleitoral, as alegações da defesa não se sustentam e a decisão do TRE abre um precedente perigoso, pois sinaliza para que novos abusos ocorram com o uso de veículos de comunicação como braços de campanha nas eleições de 2018.
Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Justiça eleitoral julga ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho

Uso indevido de meios de comunicação é uma das acusações
Ele pode ser multado e ficar inelegível por 3 ano
O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Pará deverá julgar nesta quinta-feira, 16, ação contra o
ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), sob acusação de abuso de poder econômico nas eleições de 2014, quando concorreu ao governo do Estado.
Caso seja condenado, além de ter de pagar uma multa, o ministro ficará inelegível por 3 anos e será impedido de disputar as eleições em 2018.
Segundo a denúncia, apresentada pela procuradora regional eleitoral substituta Maria Clara Barros Noleto, Barbalho e seu vice, Lira Maia (DEM), foram beneficiados na corrida eleitoral pelas empresas de comunicação do grupo RBA, com emissoras de rádio e de televisão da família do ministro.
Na defesa ao Ministério Público Eleitoral, os advogados do ministro alegam que a trajetória do peemedebista já era de conhecimento público antes da veiculação das reportagens anexadas à ação e que, segundo a denúncia, teriam lhe favorecido.
A procuradoria incluiu gravações de programas da TV RBA, da rádio Clube, reportagens publicadas no portal Diário Online e recortes do jornal ;Diário do Pará
MATÉRIA DISFARÇADA
Segundo a denúncia, o sistema de propriedade da família do ministro foi usado para Helder Barbalho em contraposição a seus adversários políticos.
Resta evidenciado que os investigados utilizaram os meios de comunicação de sua propriedade para veiculação de propaganda político-eleitoral disfarçada de matéria jornalística, diz a denúncia.
A defesa afirma, no entanto, que Barbalho foi derrotado nas eleições.
ESCÂNDALO DO AUMENTO FRAUDULENTOS DOS SALÁRIOS, DOS VEREADORES DE URUARÁ VIRA NOTICIA NACIONAL.

DOIS ENFORCAMENTO NA NOITE DESSA QUARTA FEIRA EM URUARÁ ASSUSTA OS URUARAENSES

Na noite dessa Quarta Feira 02 tragedia por 
enforcamento deixaram a população transtornada.
O jovem Vinicius de Akira Matomoto da Silva de 16 anos tirou sua vida por enforcamento na cidade de Uruará na noite dessa Quarta Feira dia 15.
O Fato aconteceu por volta das 20:20 onde a Policia foi informada por populares sobre um suicídio em uma casa no Bairro vila Brasil. Apos a chegada da policia nada podia ser feito pois o jovem Vinícios já estava sem vida.
O Jovem chegou a mandar mensagens para alguns amigos num grupo de uma rede social avisando que iria se matar. Pouco tempo depois o mesmo foi encontrado morto, tendo tirado a própria vida por enforcamento.
Também na noite dessa Quarta Feira um Senhor de 68 anos se suicidou por volta das 11 horas em uma chácara na zona rural de Uruará.
O idoso sofria com depressão e segundo familiares o mesmo bebia muito e quando estava embriagado falava em se matar.
Na noite dessa quarta o idoso amarrou uma corda em uma farinheira proximo a sua residencia e cometeu o suicídio.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

VEJA LOGO MAIS: JOVEM COMETE SUICÍDIO NA CIDADE DE URUARÁ.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

TUCURUÍ: Juiz afasta prefeito por improbidade e presidente da Câmara assumirá o município

O Juiz da 1ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Tucuruí, Pedro Enrico de Oliveira, decidiu pelo afastamento do atual prefeito do município, Artur de Jesus Brito, e a posse do presidente da Câmara Municipal, Benedito Joaquim Campos Couto, que deve assumir a prefeitura no prazo de 24h estando sujeito à multa em caso de descumprimento.
A decisão foi publicada nesta 2ª feira (13) e é resultado de ação civil pública com pedido de concessão de medidas liminares ajuizada pelos Promotores de Justiça do Ministério Público do Pará,
Amanda Luciana Sales Lobato (Titular da 2ª PJ de Tucuruí), Francisco Charles Pacheco Teixeira (Titular da PJ de Breu Branco, respondendo cumulativamente na 3ª PJ de Tucuruí), e Carlos Alberto Fonseca Lopes (Titular de Novo Repartimento em cumulação com a PJ de Tucuruí e Pacajá). A ação foi motivada por denúncia de atos de improbidade administrativa praticada pelo prefeito Artur de Jesus Brito, juntamente com seu secretário de obras, Florivaldo Vieira Martins, e o chefe de gabinete Wilson Wischansky.
O esquema foi denunciado pelo empresário Alexandre França Siqueira, sócio da empresa Siqueira Locações LTDA que mantinha contrato público-administrativo de locação de máquinas pesadas com a prefeitura. Em depoimento ao Ministério Público no dia 8 de novembro, o empresário denunciou que foi contactado pelo secretário de obras Florivaldo Vieira Martins e pelo chefe de gabinete Wilson Wischansky que, em nome do prefeito, solicitaram que o empresário alterasse as medições realizadas nas obras públicas tocadas por sua empresa a fim de que o custo do serviço dobrasse de valor. Com isso, o orçamento inicial da empresa passariam de 1 milhão para 2 milhões de reais.
O empresário teria sido informado pelo secretário de obras e o chefe de gabinete que o dinheiro sairia de uma conta da prefeitura onde estava depositado o valor do ICMS recolhido pelo município. Como recusou a proposta o empresário teve seu contrato com a prefeitura rescindido no dia seguinte à conversa que teve com o secretário de obras e o chefe de gabinete.
Em sua decisão o Juiz Pedro Enrico de Oliveira acrescenta que “os excelentíssimos Promotores de Justiça sustentam que desde setembro de 2017 não há atualização pelo Município de Tucuruí no Portal da Transparência concernentes às despesas realizadas, o que tem não somente dificultado, senão impossibilitado a fiscalização plena pelo Ministério Público do Estado do Pará e pela sociedade civil organizada, indicando a intenção do prefeito municipal Artur de Jesus Brito em não cumprir as regras e princípios da administração pública”.
O Ministério Público reforça que já havia encaminhado Recomendação ao prefeito solicitando ao mesmo que instaurasse instrumentos de controle administrativo das licitações e contratações-adminstrativas anteriormente realizadas em vias de realização, porém, não houve interesse do prefeito em atender a Recomendação.
Texto: Assessoria de Comunicação do MPPA

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Medicilândia: Mulher é morta a facadas e assassino é preso

A mulher morreu no local do crime após ser golpeada várias vezes com arma Branca, o crime foi no início da noite deste sábado (11), em Medicilândia no sudoeste paraense. Segundo informações de populares um homem teria cometido o crime contra uma senhora muito conhecida na cidade por “Mariinha”. 
Não se sabe ainda a quantidade de facadas e nem o real motivo do crime que choca a cidade. Após diligências a PM apreendeu o autor do homicídio, ele confessou o crime dizendo que matou a senhora após uma discussão. Ainda segundo informações do próprio assassino, ele é natural do Maranhão e se chama Mauro Praga dos Santos. 
Mariinha era dona das kit'Nets que foram alvos de incêndio na semana passada. O autor do crime está a disposição da justiça. 
Por: Edlene Gonçalves | Xingu230

domingo, 12 de novembro de 2017

JOVEM DE 17 ANOS MORRE AFOGADO EM URUARÁ

O jovem Junior Dias Junior popular (Blekaut)como era conhecido na cidade de Uruará teve sua vida interrompida por uma tragedia na tarde desse Domingo dia 12.
Blekaut de 17 anos  morreu afogado no Km 224 sul.
MAIS DETALHES A QUALQUER MOMENTO
 COM ATUALIZAÇÕES DO ACONTECIMENTO.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

JUSTIÇA SUSPENDE O AUMENTO FRAUDULENTO DOS SALÁRIOS DOS VEREADORES DE URUARÁ

O Juiz da comarca de Uruará Vinicius Pacheco de Araujo, decidiu na data de segunda Feira dia 06/11 a suspensão imediata do ato impugnando, devendo a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores do Município de Uruará cessar o pagamento do reajuste aprovado através da Resolução n. 002/2016, restabelecendo, até decisão ulterior, o valor do subsídio dos edis fixado na legislatura anterior, sob pena de multa diária e pessoal no valor de R$ 1.000,00 (mil reais), a contar da intimação dessa decisão.
Destaca o magistrado em sua decisão que Por fim, não há dúvida de que a demora na prestação jurisdicional poderá acarretar o agravamento das finanças públicas, deixando o Município de honrar outras obrigações fundamentais, tal como o pagamento da remuneração dos servidores, diante da prática de ato aparentemente ilegítimo.
O Juiz também determinou que o Presidente da Câmara Municipal e da empresa ANDREYSSA PEREIRA QUEIROZ – MEI, responsável pelas gravações, para que exibam as mídias pertinentes às sessões dos dias 19/08/2016, 30/09/2016 e 07/10/2016.sob pena de aplicação das consequências previstas nos artigos 400 e 403 do CPC/15;
Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe o aumento de despesa com pessoal nos cento e oitenta dias anteriores ao final do mandato do respectivo Poder, conforme art. 21, parágrafo único, tendo o ato afrontado diretamente ambas regras. 

A câmara de vereadores de Uruará terá que contestação, por petição, no prazo de 15 (quinze) dias úteis (CPC, arts. 219 e 335), sob pena de revelia e presunção de veracidade das alegações de fato aduzidas (CPC, art. 344). 
ENTENDA O CASO
No Ultimo dia 27 de Outubro o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do promotor de justiça de Uruará, Pedro Renan Cajado Brasil, ajuizou ação civil pública para suspender o pagamento do reajuste aprovado pela Resolução nº 002/2016, que aumentou o subsídio dos vereadores da Câmara Municipal de Uruará, os quais passaram a receber o valor de R$ 7.500,00, a partir de janeiro de 2017. Anteriormente o subsídio era de R$ 4.890,00, havendo, portanto, um aumento de mais de 53%.
Diante desses motivos, o Ministério Público requereu que a Justiça conceda a liminar visando a suspensão imediata do aumento dos subsídios dos vereadores, implementado pela Resolução nº 002/2016 e que, ao final do processo, todos os atuais vereadores sejam obrigados a restituir os valores já pagos a maior desde janeiro de 2017, onde cada Vereador devera restituir 31,320.00, referente o aumento fraudulento dos salários dos nobres vereadores de Uruará, isso de Janeiro a Dezembro de 2017.
VEJA AINDA HOJE: JUIZ DA COMARCA DE URUARÁ GARANTE LIMINAR QUE FOI AJUIZADA PELO MINISTÉRIO PUBLICO DE URUARÁ, CONTRA A FRAUDE DO AUMENTO SALARIAL, DOS VEREADORES DE URUARÁ.


terça-feira, 7 de novembro de 2017

AGRICULTORES DA VICINAL KM 170 CANSADOS COM O DESCASO DO PREFEITO DECIDEM MANIFESTAR NESSA QUARTA FEIRA.

Depois de se reunirem com vereadores, prefeito e nada ser resolvido sobre a péssima estrada da vicinal, os agricultores decidem em vim para cidade de Uruará e decretar greve em repudio as promessas não cumprida do gestor municipal.
O prefeito Gilson Brandão que não honra sua palavra deixou os agricultores revoltado com suas falacias, onde no mês de Julho o nobre prefeito se reuniu com os mesmo, garantindo que no mês de Outubro a estrada vicinal seria arrumada para os mesmo, podessem ter melhor trafegabilidade.
Mas como tudo que o prefeito fala nada é cumprido, o mês de Outubro passou e a estrada continua nas péssimas situação, onde no dia da dita reunião foi deixado claro, que se a estrada não fosse arrumada os agricultores iriam se manifestar. A manifestação foi protocolada no fórum e nas policias, onde esta marcada pra começar nas primeiras horas dessa Quarta feira.

PREFEITO DE URUARÁ, DÁ PINO E NÃO PAGA A FINAL DA COPA VERÃO

Os atletas do time Juventude campeão da copa verão de 2017,reclamam que a Prefeitura esta dando um calote nos atletas e até o momento não efetuou o pagamento da premiação de R$ 6.000.00.
Segundo o que foi apurado. Na final do Campeonato que aconteceu no mês passado esteve presente varias autoridades locais, inclusive secretários, vereadores e o Prefeito da Cidade Gilson Brandão que se alvorou do microfone com varias tagarelagem.
No dia da entrega da premiação foi repassado ao campeão, neste caso a equipe um cheque simbólico de R$ 6.000.00 que ate o momento não foi honrado pelo prefeito de Uruará, onde segundo informações o mesmo quando os organizadores do time campeão liga para o prefeito e fala a respeito do dinheiro, o nobre prefeito desligar o celular.
Os atletas solicitam ao Prefeito que cumpra a sua palavra e pague a premiação do do time campeão pois os mesmo tem uma partida de futebol na cidade de Vitoria do Xingu e dependem desse dinheiro, onde o prefeito também não horou o pagamento dos árbitros e locutor.
Em conversa com o secretario de Esporte, o mesmo não quis falar sobre o assunto.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Uruará: Adolescente com passagem na polícia é morto a tiros

A polícia investiga a morte de um adolescente executado a tiros na madrugada desta segunda-feira, 06, na cidade de Uruará. 
Segundo informou a Polícia Civil, a vítima, João Carlos Vieira de Jesus, 16 anos, foi alvejado por 10 tiros de arma de fogo calibre 380. Crime com características de execução ocorrido próximo a Praça da Lagoa, na zona centro-oeste da cidade. Ainda de acordo informou a polícia, apesar da pouca idade o adolescente tinha várias passagens na polícia por diversos crimes como roubo e furto.
A autoria do homicídio ainda é desconhecida. Um inquérito policial foi instaurado para apurar o crime.
Por Joabe Reis
Informações: Polícia Civi

COMEMORAÇÃO DE ANIVERSARIO TERMINA EM MORTE EM URUARÁ

Vitima
Na tarde desse Domingo por volta de 16h, na cidade de Uruará em uma comemoração de aniversario regrada a muita bebida terminou com a morte do aniversariante, que foi executado pelo próprio amigo de bebedeira.
O crime aconteceu no interior da Serraria Tocantins, em Uruará, o nacional GILVAN SILVA OLIVEIRA, que comemorava seu aniversário, em companhia dos indivíduos conhecidos por Elci Jones e Negão Pedreiro.
Quando ocorreu uma discussão entre eles, que resultou no baleamento e morte de GILVAN, que foi atingido por 03 (três) disparos de revólver calibre 38.
Os acusados fugiram do local e estão sendo procurados pelas guarnições de serviço. E o local do crime e corpo da vítima foram repassados à Policia Civil.
Informações: Polícia Milita de Uruará

domingo, 5 de novembro de 2017

sábado, 4 de novembro de 2017

Indivíduos do município de Uruará são alvejados a tiros após cometerem assalto no município de Medicilândia

Populares se revoltam e matam 1 assaltante e deixam outro ferido em Uruará
Indivíduos do município de Uruará levaram a pior após assaltarem uma senhora no km 120, na rodovia Transamazônica, município de Medicilândia. O roubo ocorreu na sexta-feira, 03, e terminou
com a morte de um dos suspeitos e o outro ficou ferido. Os indivíduos foram perseguidos por populares que os amarraram e posteriormente efetuaram disparos de arma de fogo contra os mesmos.
Segundo informações da polícia, a equipe de plantão da Polícia Civil (EPC Ivan, IPC Eládio e DPC Walison) recebeu informações sobre dois homens que estavam baleados na ponte do Km 165 da rodovia Transamazônica (BR-230), zona rural de Uruará. Um foi localizado no hospital municipal, sendo que o outro foi encontrado morto as margens do rio Uruará, próximo a ponte. 
Ainda de acordo com a polícia, a vítima sobrevivente, Ezequiel Almeida dos santos, disse que os dois indivíduos haviam saído
sentido cidade de Altamira, sendo que o mesmo alegou estar dando carona para o indivíduo que foi a óbito de nome, Erivan da Costa Oliveira, porém no caminho, parou a moto e Erivan entrou em um travessão, em seguida retornou com uma moto POP, que seguiram até o km 120, onde, segundo a vítima sobrevivente, Erivan realizou um roubo a uma mulher. Que em seguida retornaram para Uruará, porém no caminho foram abordados por várias pessoas que estavam em dois veículos, uma caminhonete e um palio. Os populares amarraram os dois e os levaram até a ponte do km 165, no Rio Uruará, no local os populares efetuaram disparos de arma de fogo contra os dois suspeitos.
Erivan morreu no local e o outro indivíduo, Ezequiel Santos, 30 anos, sobreviveu e foi encaminhado, com ferimentos no braço e na cabeça, para o Hospital Municipal de Uruará e não corre risco de morte, os disparos atingiram o mesmo apenas de raspão.
Ainda de acordo com a polícia, Erivan era suspeito de alguns delitos na cidade.
Um inquérito policial foi instaurado para apurar o homicídio.
Por Joabe Reis
Informações: Polícia Civil de Uruará

PREFEITO DE URUARÁ DISSE EM DISCURSO NESSA MANHÃ DE SÁBADO QUE EM BREVE IRIA ALÇAR VOOU. MAS O CARA JA ESTA VOANDO A TEMPOS, SÓ ELE NÃO SABE!


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Empresários americanos visitam Medicilândia, para possível instalação de uma empresa,na região, de grande porte para compra de cacau.

Na tarde desta terça-feira,31, no km 80 Sul, na propriedade do seu Vilmar, no município de Medicilândia recebeu a visita de uma equipe dos Estados Unidos da empresa Jimenez & sons maclex&vellyns, o objetivo da visita dos americanos foi conhecer as amêndoas produzidas nas roças do município. Conhecer a produção na região abriu um leque de grandes horizontes de possibilidades para abrir a empresa na região, foi o que relatou Ubirajaba um dos empresários americanos. Ele ainda explicou que a empresa de produção de cacau será a nível industrial e que o produto fabricado não será para o mercado literal é sim para grandes multinacionais que fazem a produção de chocolate e derivados. E que o primeiro passo para a abertura da empresa está sendo feito, que é essa visita na região.
Estiveram acompanhando a visita o prefeito de Brasil Novo , Alexandre Lunelli e o prefeito de Medicilândia, Celso Trzeciak. O prefeito de Medicilândia falou sobre a possível ida aos Estados Unidos, o qual ainda depende da permissão do legislativo municipal. O prefeito Municipal Celso Trzeciak disse que caso vá aos Estados Unidos irá em busca de investimentos para nossa região, e que os americanos adiantaram a ele que na ida aos Estados Unidos estarão presentes dois governadores e empresários da região.
Ainda não foi definido nem o local e nem a data da instalação da empresa na região. Mas a alegria no rosto dos americanos não nega que muito em breve teremos essa informação.
Por: Edlene Gonçalves

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Operação da PF tem como alvo servidores do IBAMA

Na manhã desta terça-feira (31), a Polícia Federal deflagrou a Operação Concisor em Marabá,
Parauapebas, Breu Branco, Canaã dos Carajás e Eldorado dos Carajás, cidades do sudeste do Pará. Estão sendo cumpridos 4 mandados de prisão, 5 de busca e preensão e 6 conduções coercitivas, bem como ordens judiciais de afastamento de servidores da função pública.
O foco da operação são servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA) suspeitos de repassar informações para madeireiras e outras pessoas fiscalizadas pela autarquia federal em troca de vantagens indevidas ou dinheiro em espécie. Os mandados de buscas estão sendo cumpridos em empresas suspeitas de pagar tais propinas. Ao todo, 60 policiais federais cumprem as ordens judiciais.
Os suspeitos irão responder por corrupção passiva, ativa e concussão e se condenados podem pegar penas de prisão de até 8 (oito) anos de reclusão, além de multa.
(Com informações da PRF)

FORÇA AÉREA DO ESTADO DO PARA FAZ OPERAÇÃO DE TREINAMENTO CONTRA ASSALTOS AS AGENCIA BANCARIAS DE URUARÁ

Na manhã dessa terça feira um helicóptero sobrevoou a cidade de Uruará por vários minutos deixando a população apreensiva, sem saber o que estava acontecendo. 
A operação faz parte de um treinamento de combate aos assaltos as agencias Bancarias na região, onde uma Equipe da Segurança Pública veio realizar treinamento em Uruará, junto com a Policia Militar local.
Essa Operação prepara agentes da Policia para refrear e enfrentamento a atuação de quadrilhas fortemente armadas, para executar os roubos as agencias Bancarias usando o modo novo Cangaço na Região da Transamazônica.
Sendo informações a operação aconteceu no dia de ontem na cidade de Altamira e no dia de hoje em Uruará onde se estenderá nas outras cidades com índice de assaltos nas agencias Bancarias.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

GOLPE DO AUMENTO SALARIAL DOS VEREADORES DE URUARÁ CUSTARÁ CARO PARA OS NOBRES PARLAMENTARES.

CADA VEREADOR DE URUARÁ DEVERÁ DEVOLVER A QUANTIA DE R$ 31,320,00 ONDE A SOMATÓRIA DOS 13 PARLAMENTARES ULTRAPASSA Á R$ 407,000,00.
No Ultimo dia 27 o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do promotor de justiça
de Uruará, Pedro Renan Cajado Brasil, ajuizou ação civil pública para suspender o pagamento do reajuste aprovado pela Resolução nº 002/2016, que aumentou o subsídio dos vereadores da Câmara Municipal de Uruará, os quais passaram a receber o valor de R$ 7.500,00, a partir de janeiro de 2017. Anteriormente o subsídio era de R$ 4.890,00, havendo, portanto, um aumento de mais de 53%
Diante desses motivos, o Ministério Público requereu que a Justiça conceda a liminar visando a suspensão imediata do aumento dos subsídios dos vereadores, implementado pela Resolução nº 002/2016 e que, ao final do processo, todos os atuais vereadores sejam obrigados a restituir os valores já pagos a maior desde janeiro de 2017, onde cada Vereador devera restituir 31,320.00, referente o aumento fraudulento dos salários dos nobres vereadores de Uruará, isso de Janeiro a Dezembro de 2017.

sábado, 28 de outubro de 2017

NOVO REPARTIMENTO: Promotoria de Justiça realiza busca e apreensão no município

O Ministério Público do Estado do Pará, por meio da promotora de Justiça Amanda Luciana Sales Lobato, realizou na manhã de ontem (26), busca e apreensão em desfavor do município de Novo Repartimento. A ação faz parte do inquérito civil que investiga atos que podem ensejar em improbidade administrativa, através de desvios recursos públicos, licitações direcionadas e superfaturadas e outros atos que tem causado prejuízos aos recursos financeiros do município.
A Justiça autorizou que fossem feitas buscas e apreensões nos seguintes alvos: uma sala do prédio que fica em frente Câmara Municipal; na vila onde funciona a Associação Comercial de Novo Repartimento (Asconor), Eletrotintas e Provecom; na chácara do empresário Tiago, proprietário do Supermercado Botafogo e na Vila Tucuruí, que fica ao lado da Serraria Dois Vizinhos, propriedades de Claudio Marcos Farias Santana, servidor municipal vinculado ao gabinete do prefeito. Durante a ação foram apreendidos documentos e equipamentos de informática.
Investigações
Desde o mês de setembro o Ministério Público investiga o financiamento da feira agropecuária de Novo Repartimento, para qual seriam destinados mais de R$ 500 mil, sendo emitida uma Recomendação indicando que o município se abstenha de repassar, total ou parcialmente, o valor para realização da feira, em razão da existência de vários serviços públicos essenciais que não estão sendo prestados com a justificativa de falta de recursos.
Foi apurado que temendo uma fiscalização efetiva do Ministério Público, já que foram solicitados vários documentos referentes as licitações em curso e não houve resposta da Prefeitura e também para ludibriar a fiscalização a respeito se houve o financiamento do evento festivo, os documentos referentes as licitações do município estariam sendo retirados da Prefeitura e distribuídos em vários endereços.
Diante desse fato a Promotoria de Justiça de Novo Repartimento ajuizou ação cautelar de busca e apreensão com pedido liminar. O pedido foi concedido pela justiça.
"Procurou-se, por meio da ação cautelar instruir o procedimento sobre improbidade administrativa que está tramitando pela promotoria de Novo Repartimento, buscando por fim subsidiar o pedido de imposição das sanções político-administrativas previstas na lei em desfavor do gestor e dos servidores envolvidos em fraudes, afim de dilapidar o patrimônio público", frisou Amanda Lobato.
Texto: Tatiane Rabelo
Revisão: Edyr Falcão

MPPA ajuíza ação civil contra aumento de salário dos vereadores do município de Uruará

Vereadores passaram a receber o valor de R$ 7.500,00, a partir de janeiro de 2017. Anteriormente o subsídio era de R$ 4.890,00, havendo, portanto, aumento de mais de 53%. MPPA requereu que eles sejam obrigados a restituir os valores já pagos a mais desde
O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do promotor de justiça de Uruará, Pedro
Renan Cajado Brasil, ajuizou ação civil pública para suspender o pagamento do reajuste aprovado pela Resolução nº 002/2016, que aumentou o subsídio dos vereadores da Câmara Municipal de Uruará, os quais passaram a receber o valor de R$ 7.500,00, a partir de janeiro de 2017. Anteriormente o subsídio era de R$ 4.890,00, havendo, portanto, um aumento de mais de 53%.
Vereadores de Uruará
A ação civil pública foi resultado de uma investigação realizada pelo Ministério Público, a partir de documento encaminhado pelo presidente do partido Democratas de Uruará. Ficou constatado que a Resolução nº 002/2016 padece de diversos vícios, como a inexistência de processo legislativo. O MPPA apurou que houve uma verdadeira fraude, com a elaboração de documentos com teor falso para dar ar de legalidade à aprovação da referida resolução.
"Outro vício é que o ato normativo não obedeceu à regra constante no art. 69, parágrafo único da Constituição do Estado do Pará, que exige que o aumento dos subsídios dos vereadores seja efetuado por meio de lei e não resolução, como foi feito", frisou o promotor de Justiça Pedro Brasil.
Além disso a resolução ainda não obedeceu ao prazo previsto no art. 21, parágrafo único da lei de responsabilidade fiscal (lc 101/2000), que estabelece um prazo de 180 dias para que se proceda aumento de despesa com pessoal, constatou o MPPA.
Diante desses motivos, o Ministério Público requereu que a Justiça conceda a liminar visando a suspensão imediata do aumento dos subsídios dos vereadores, implementado pela Resolução nº 002/2016 e que, ao final do processo, todos os atuais vereadores sejam obrigados a restituir os valores já pagos a maior desde janeiro de 2017.
O promotor de Justiça Pedro Brasil determinou ainda a abertura de inquérito civil, para apurar a prática de ato de improbidade administrativa dos responsáveis pela fraude legislativa.
Texto: Promotoria de Justiça de Uruará
Edição: Assessoria de Comunicação

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

OPERAÇÃO DO IBAMA EM PLACAS FECHA DUAS SERRARIAS E DEIXA MAIS DE 100 FAMÍLIAS DESEMPREGADA

Na tarde de hoje (26), agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) esteve na cidade de Placas cumprindo mais uma etapa da Operação Malha Verde. A Operação Malha Verde está atuando nos municípios de Itaituba, Rurópolis e Placas, com cerca de 50 agentes do IBAMA e 100 Policiais, sendo Força Nacional, Táticos e Polícia Militar. Dentro das rotinas estabelecidas pela operação, cujo objetivo é fiscalizar empresas exportadoras de madeira e demais produtos florestais, no uso do sistema de controle DOF - Documento de Origem Florestal, agentes ambientais federais apreenderam madeiras e equipamentos de duas serrarias. Segundo informações do agente do IBAMA Tiago Soares, as serrarias já haviam sido autuadas e lacradas em outra ocasião, mais as atividades de beneficiamento de madeira continuava sendo exercida, descumprindo a ordem do órgão.
O agente ainda informou que mediante a ausência dos responsáveis pelas serrarias, seria utilizado o meio de destruição dos equipamentos das serrarias por meio de fogo, mais após várias horas de espera os responsáveis se apresentaram e a ordem de destruição foi suspensa. O agente Tiago ainda ressaltou que, graças a uma fiscalização cada vez mais rigorosa, contando com acesso a vários sistemas corporativos de controle ligados a informações de segurança pública dos órgãos de
fiscalização do Brasil, ficou mais fácil alferir o modus operandis dos infratores.
O procedimento adotado foi à apreensão dos motores principais das serrarias para evitar o funcionamento e apreensão das madeiras que foram encontradas no pátrio, madeiras em tora e serradas. Interrogado sobre o destino das madeiras, ele informou que serão doadas para entidades devidamente legais.
A quantidade em metros não foi informada oficialmente, pois ainda estavam fazendo o levantamento, mais aproximadamente foram apreendidas nas duas serrarias cerca de 400 torras e 250 metros cúbicos de madeira serrada.
A situação na cidade de Placas se agravou referente ao desemprego causado pela operação, em tempos de crise, mais de 100 famílias ficaram desempregadas. Os trabalhadores que permaneciam em seus locais de trabalho estavam revoltados com a situação, pois não sabem o que fazer agora para manter o sustento das famílias.
Os proprietários das serrarias alegam a lentidão nos processo de legalização de suas empresas, isso faz com que se obrigam a trabalhar na ilegalidade uma vez que, precisam de recursos até mesmo para custear todo trâmite da legalização. Entendem que é preciso trabalhar dentro da formalidade, mais o sistema é lento e rígido.
Por Edson Azevedo

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

PADRE COBRA PREFEITO DE URUARÁ EM PLENA MISSA.

Depois de Prometer em ajudar com R$ 1.000.00 na compra de um carro para ser sorteado em um bingo na festa da igreja católica em Uruará, o Prefeito Gílson Brandão começou a enrolar a quantia prometida a igreja, onde o Padre Jeová foi obrigado a usar os microfones da igreja para lembrar o Prefeito.
Com a Grande repercussão na internet, sobre cobrança do padre em meio a missa na Igreja Católica Matriz de Uruará, Presidida pelo Pároco Jeová Jesus Morais o Prefeito mandou pagar a Promessa que ele tinha feito pra ajudar pagar o carro que vai ser sorteado na festa da igreja..

Criminosos invadem igreja evangélica e roubam pastor e fiéis em Uruará

Ação aconteceu, na noite dessa Sexta Feira minutos antes do inicio do Culto
02 Criminosos invadiram, na noite de sexta feira dia 20, por volta das 19h, a Igreja da Vinha no 
Bairro vila Brasil , o Pastor e alguns fieis se preparavam para o inicio do culto quando os criminosos chegaram e cumprimentaram os presente com uma boa noite e anunciaram o assalto.
Os Dois 02 homem roubaram das vitimas Celulares, e objetos pessoais do pastor e dos fiéis.
Também na noite desse Domingo por volta da 20 horam uma grupo de Pessoas estavam na frente da radio regional Fm, acessando a rede de internet, onde oWi-Fi é liberado, 02 criminosos chegaram de moto e fizeram uma arrastam levando todos os celulares das vitimas.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Brasil Novo: “Condenação não vai me tirar do cargo, vamos continuar com todos os serviços que estamos prestando a nossa cidade” Explicou Lunelli do PT

Nesta sexta-feira (20), o prefeito de Brasil Novo Alexandre Lunelli (PT), usou as redes sociais e meios de comunicação da cidade para estancar os boatos que mencionaram seu afastamento do cargo e nomeação do vice, Junior Lorenzoni, porém a decisão em segunda instância ainda cabe recurso, e nesta etapa processual não cabe em qualquer momento, afastamento, perda do cargo ou nomeação do vice na linha sucessória. Além do caso ser de 2012, quando naquela época um cartório demorou para entregar as prestações de contas já prontas do 3º quadrimestre da administração de Alexandre.
“Não fui condenado por roubar ninguém, nem temos essa índole, a população pode ficar tranquila que vamos continuar nosso trabalho” Explicou Alexandre
O Processo: 0001624-50.2013.8.14.0071 ainda está em tramitação e precisa de um caminho a percorrido na justiça para que a condenação tenha validade.
Por: Felype Adms, com informações da ASCOM - PMBN

Ministério Público e Polícia Civil deflagram operação para investigar fraudes em licitações na Prefeitura de Terra Alta

Uma operação conjunta entre o Ministério Público do Estado e a Polícia Civil resultou, nesta quinta-
feira, 19, no cumprimento de doze mandados de busca e apreensão, nos municípios de Castanhal, Santa Maria do Pará e Terra Alta.​ Ao todo, 12 locais foram alvos da operação. Além da sede da Prefeitura de Terra Alta e da Secretaria de Educação do município, foram realizadas buscas na casa do prefeito Gilvandro Alves Cordovil do Nascimento, na fazenda dele, na casa da filha dele, que é secretária municipal; e na residência de outra secretária, além de seis empresas. 
Denominada de operação High Land, a ação é resultante de um procedimento investigatório criminal (PIC) realizado pelo Núcleo de Combate à Improbidade e Corrupção (NCIC), do Ministério Público do Estado do Pará, com apoio da Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas (DRDP), unidade policial vinculada à DRCO (Divisão de Repressão ao Crime Organizado), que apura possíveis crimes de desvios de recursos
públicos e corrupção na administração pública da Prefeitura de Terra Alta. ​"Trata-se de investigação instaurada em desfavor do atual prefeito de Terra Alta em razão das peças de informações inclusas ao PIC do NCIC. A instauração do PIC foi motivada pelos Termos de Declarações prestados pelos vereados do município que relataram fraudes nos procedimentos licitatórios e na execução de diversos contratos entre empresas, muitas delas fantasmas e a municipalidade", explica o delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da DRDP.
Além de dar cumprimento aos mandados de busca e apreensão, foram cumpridas conduções coercitivas determinadas judicialmente, especialmente, dos alvos da operação. Os mandados foram cumpridos pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado), do MPE, e equipes da Polícia Civil, com finalidade de instruir procedimento investigativo com a deflagração da operação policial. Além de equipe da DRDP, participaram três equipes do GAECO e outras seis equipes da DRCO, da Diretoria de Polícia do Interior (DPI), da Superintendência de Castanhal e do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) da Polícia Civil.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Justiça acata denúncia, e ex-prefeito vira réu em ação de improbidade

O juiz Odinandro Garcia Cunha, da Justiça Estadual em Rurópolis, aceitou denúncia nesta quinta-feira, 19, contra o ex-prefeito do município Pablo Genuíno por crime de improbidade administrativa.
Com a decisão, o jovem tucano de 30 anos se tornou réu. A denúncia foi ajuizada pelo Ministério Público do Pará em fevereiro deste ano. Pablo foi enquadrado em prática de crime de responsabilidade ao ser flagrando pelo MP se utilizando de servidores e maquinário da Prefeitura de Rurópolis para reformar a sua casa. “Decido receber a denúncia em desfavor de Pablo Raphael Gomes Genuíno pela prática do crime previsto no artigo 1, inciso II, do Decreto-Lei n 201/1967“, escreveu o magistrado na sua decisão. Odinandro Cunha marcou para o dia 30 de janeiro do próximo ano a primeira audiência de instrução e julgamento do caso. Pablo Genuíno foi prefeito de Rurópolis no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2016. Tentou a reeleição, mas foi massacrado nas urnas pelo hoje prefeito Taká Padilha, do PMDB, que venceu a eleição com quase 60% dos votos válidos do município.
Por Jeso Carneiro

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

MINISTÉRIO PUBLICO FEDERAL NA COLA DO DEPUTADO ERALDO PIMENTA

JUSTIÇA NÃO LARGA DO PÉ DO DEPUTADO TAGARELA ERALDO PIMENTA
O Ministério Público Federal no Ultimo dia 17 de Agosto 2017, ofereceu denúncia em desfavor de Eraldo Sorje Sebastião Pimenta, atual Deputado Estadual do Pará, Procedimento Investigatório Criminal (PIC-MP) Crimes de Responsabilidade, no Processo 0041196-86.2017.4.01.0000.
O Deputado foi notificado a dar respostas em um prazo de 15 dias, Ordem à Seção Judiciária do Pará e à Subseção Judiciária de Altamira/PA, onde a defesa pode se manifestar as acusações, nos termos do art. 4º da Lei 8.038/90 e art. 257 do RITRF/1.

Camionete de uso exclusivo a serviço da Prefeitura de Uruará é flagrada em uma praia de Santarem.

Uma camionete da prefeitura de Uruará de Usos exclusivo foi fotografada na praia do Pindobal em Santarem.
O artigo 312 do código penal diz que apropiar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito própio ou alheio: pena- reclusão, de dois a doze anos, e multa.
CRIME CHAMADO COMO PECULATO.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ASSALTO A AGENCIA BANCARIA DE MEDICILÃNDIA NESSA MANHÃ

Assalto ao BanPará na cidade de Medicilândia deixa a cidade em pânico nesta sexta (13).
Um grupo de pelo menos 8 homens fortemente armados anunciaram assalto na Agência do BanPara em Medicilândia no sudoeste do estado, eles fizeram reféns e levaram sacolas de dinheiro. Estabelecimentos próximos do Banco também foram alvo dos assaltantes, a polícia militar foi acionada e houve intensa troca de tiros no centro da cidade, a praça pública se transformou em campo de guerra.
A PM fechou a BR 230 que corta a cidade nos dois lados, porém os criminosos fugirem sentido um Travessão ao sul da cidade, os reféns foram levados.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

PREFEITO DE URUARÁ AUMENTA SEU PRÓPRIO SALARIO

A HIPOCRISIA E A CANALHICE PREVALESSE EM URUARÁ
Em seu pronunciamento de posse o Prefeito, Gilson Brandão anunciou algumas medidas tomadas seu governo, entre elas estava a redução do Salario do Prefeito, vice-prefeito e seus secretários, onde o prefeito deixou claro sua preocupação com a situação de crise que atravessa o município de Uruará, lindo isso. Só lero lero, o nobre prefeito declarou no dia 1 de janeiro e iria reduzir seu salario e de seus secretários, onde foi tudo mentiras, só canalhice. O salario inicial do Prefeito de Uruará era de R$8,800.00 onde no mês de Julho o grandioso prefeito aumento quase 15% em seu salario passando a receber redondos R$ 10,000.00.

OS ELEITORES DO MUNICÍPIO DE URUARÁ DEVEM FAZER O RECADASTRAMENTO BIOMÉTRICO DOS TÍTULOS ELEITORAL

O recadastramento eleitoral biométrico será realizado para dar mais segurança ainda à identificação do eleitor no momento da votação. O nome 'biometria' ocorre do fato de coletarmos e armazenarmos dados físicos do eleitor.
A Partir dessa sexta-feira 13.10 iniciaram o atendimento biométrico no Cartório Eleitoral de Uruará. Os eleitores deverão comparecer no Cartório Eleitoral munidos dos documentos pessoais e comprovante de residência, no período de 13.10.2017 a 09.05.2018 das 8h às 13h, para fazer o cadastramento biométrico de seu título de eleitor. 
Serão coletadas do Eleitor: Assinatura, Foto, as impressões digitais dos dez dedos.
Quem não comparecer dentro do período estipulado pelo cronograma para cada município/ zona eleitoral, terá o título cancelado. E atenção: o recadastramento é obrigatório para todos os eleitores, inclusive para aqueles que têm voto facultado: os analfabetos; os eleitores entre 16 e 18 anos e os eleitores com mais de 70 anos que possuem título de eleitor. Estes também serão cancelados caso não compareçam ao posto de atendimento.
No Estado do Pará, a identificação biométrica já abrange 23 municípios com um eleitorado total de mais de 1.400.000 eleitores.Neste biênio, buscará se fazer o recadastramento de mais 1.100.000 eleitores, um número que corresponde a 25% do eleitorado do Pará. Para maiores informações pode-se acessar as Estatísticas do recadastramento.
Na votação com procedimento de identificação biométrico, o eleitor passa a ter a identidade confirmada ao colocar sua digital no terminal da urna eletrônica; não sendo mais obrigatório assinar o Caderno de Votação.
O recadastramento está sendo feito nestes municípios através de uma "revisão de eleitorado", instrumento que torna obrigatório o comparecimento de todos os eleitores do município em que ocorrerá a revisão à sua respectiva Zona/Posto de Atendimento, tanto para a coleta dos novos dados quanto para a confirmação do endereço.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PREFEITO E VEREADORES EXPULÇÃO O PARQUE DE DIVERSÃO SANTA CRUZ DA CIDADE DE URUARÁ.

Depois do fatídico requerimento sobre o parque Santa Cruz 
os vereadores silenciaram. Eles não esperavam tamanha rejeição popular
Diante de mais de 25 anos que o Parque de Diversões Santa cruz de estala na cidade de Uruará
virando assim tradição de final de ano, os nobres vereadores e o exelentissimo Prefeito de Uruará Gilson Brandão estiveram a audácia de deixar a população de Uruará sem o lazer de fim de ano.
O autor da expulsão do Parque da cidade foi o presidente da Câmara de vereadores, Jackison de Oliveira Lima, que usou a justificativa do código de postura do município de Uruará, destacando as reclamações dos membros da Igreja Batista que fica logo a frente, e também o trafego de veículos que era dificultado com a estalação do Parque. 
Os Vereadores aprovaram por unanimidade o requerimento para o Park Santa Cruz não se instalar mais no local que a mais de 25 anos era tradição.
Segundo informações foi cedido outro local para a estalação do Parque, mas fora do centro da cidade, onde a organização do Parque não aceitou e iram se estalar na cidade de Novo Progresso.
VEJA A REPERCUSSÃO NAS REDES SOCIAIS
Marcelo Marques Tá na hora do povo reagir. Vamos querer as praças livres também. Queremos ver os vereadores trabalhando. Esgoto a céu aberto nunca!!! Limpeza do mercado! Tampar buracos nas ruas, iluminação pública. Queremos ver os requerimentos!!!
Alisandra Valle O povo coloca... Mais o povo também tira ... Acabou a diversão das nossas crianças... Mais já já isso acaba 3 anos passa voando. Povo não e besta não.. Esses ai não ganham mais
Marleide Costa de quem foi essa ideia de merda mesmo heim...?
foi qual vereador de bosta que inventou essa palhaçada? affh casa coisa viu 
Anny Araújo II Tudo bando de fdp desgraçado.. Unica diversão na cidade querem tirar.. Joga logo uma bomba aqui e acaba de vez com Uruará ta resolvido. .
Sidneia Carvalho Dias Tenho quê concordar com vc , parabéns Celino marizeira é isso aí mexer com quem ta quieto porque? Se existe tantas outras coisas quê deve ser mudadas vai procura confusão nova pra quê.
Silvana Lira Até parece que aqui tem sinalização, Denatran, fiscalização, educação no trânsito e etc... é cada uma. Só Deus para ter piedade da língua do povo. Agora eu entendo a frase " perdoai-vos Senhor eles não sabem o que fazem". Quem nunca andou ou dirigiu ou pilotou na contra mão que atire a primeira pedra.
Nonato Rodrigues Silva mas porque vcs estão reclamando dos vereadores mas a população quis assim agora tem que aguenta até o fim!
Renato Vargas Uruara ja não tem opção pra sair com a família diariamente, e quando tinha que era o parque a senhor vereador quer tirar, parabéns vereador, esta contribuindo muito pelo Uruara assim, povo de Uruara elegem sempre os mesmo e da nisso.
O que falta aqui é um vereador que tenha coragem pra tirar o resto de encostados que tem na câmera de vereadores!

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Uruará: O Promotor já notificou ex-vereadores para poder esclarecer a denúncia de fraude no aumento salarial dos parlamentares de Uruará.

Grande expectativa pelos depoimentos dos ex-vereadores ao 
Ministério Público sobre a denúncia de fraude no aumento salarial 
O Promotor de Justiça Pedro Renan Cajado Brasil, representante do Ministério Publico do Estado esta notificando os Ex-Vereadores para prestar depoimentos pra esclarecer o caso dos aumento fraudulentos dos vereadores de Uruará.
Um dos Notificado è o ex-vereador Valdecir Terra que terá que prestar esclarecimento ao MP no dia 18 de Outubro de 2017 as 15:30 no Fórum de Uruará.
No Final de 2016. os Vereadores de Uruará, em uma sessão, realizada sem a presença de vários vereadores foi oficializado o aumento salarias dos vereadores que tinha um valor de R$ 4.800,00 para 7,000,00.

domingo, 8 de outubro de 2017

Fenômeno em torno do Sol chama a atenção da população de Uruará

Círculo colorido é causado por nuvens carregadas com cristais de gelo.

Segundo astrônomos, trata-se de um fenômeno muito raro. 
Um fenômeno óptico conhecido como halo chamou a atenção dos Uruaraenses na manhã desse Domingo (08). Um círculo colorido se formou em volta do sol. Muitos Uruaráenses ficaram admirados com o Fenônemo nunca presenciado na cidade de Uruará.
O Halo Solar é um fenômeno óptico caracterizado pelo surgimento de um círculo ao redor do sol. Ocorre na Troposfera, a cerca de 17 quilômetros de altitude, quando a luz do sol é refletida e refratada por cristais de gelo presentes na atmosfera terrestre, causando assim a dispersão da luz. O formato circular está ligado à estrutura hexagonal desses cristais.
O fenômeno da refração consiste na mudança de direção e velocidade da luz ao passar de um meio para o outro. Os cristais de gelo presentes na atmosfera funcionam como pequenos prismas que decompõem a luz branca do sol nas cores primárias, formando assim o halo solar de forma semelhante ao que ocorre com o arco-íris.
Assim como acontece no sol, ao redor da lua também pode surgir o halo. A formação de um halo lunar ocorre da mesma forma que o solar, porém, a visualização das cores escuras é mais difícil, sendo possível observar melhor apenas as cores mais claras.

sábado, 7 de outubro de 2017

GRAVE ACIDENTE NA ESTRADA DO CHAPADÃO.

Um Grave acidente no chapadão, estrada que liga Uruará a Santarém, a vitima e um caminhoneiro, o mesmo foi encaminhado em estado gravíssimo para o Hospital Municipal de Uruará.
Segundo informações o acidente aconteceu por volta das 15h, onde o motorista perdeu o controle do caminhão vindo a acontecer o acidente. O caminhão ficou totalmente destruído , onde o motorista e da cidade de Sete Lagoas-MG.
Por Dhan Talento

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Ex-prefeito de Mãe do Rio é preso por esquema de desvio de dinheiro público

Segundo a polícia, estima-se que os valores subtraídos dos 
cofres  públicos municipais ultrapassem a cifra de R$ 4 milhões
Polícia Civil cumpriu, nesta quarta-feira (4) o mandado de prisão decretado contra o ex-prefeito da
cidade de Mãe do Rio, no nordeste do Pará, José Ivaldo Martins Guimarães, acusado de participar de uma organização criminosa responsável em cometer desvios de recursos públicos na Prefeitura local.
José Ivaldo, que estava na condição de foragido de Justiça, se entregou na sede da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em Belém, onde as investigações sobre o esquema de fraude são conduzidas pelo delegado Carlos Eduardo Vieira, da Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas (DRDP). Conhecido por Badel, o ex-prefeito foi um dos alvos da operação denominada Dilúvio deflagrada em 27 de abril deste ano, em Mãe do Rio, São Miguel do Guamá, Santa Maria do Pará e Aurora do Pará, para dar cumprimento a 21 mandados de busca e apreensão, oito mandados de condução coercitiva e sete mandados de prisão preventiva.
Documentação desaparecida
Na ocasião da operação policial, o ex-prefeito não estava em sua residência e, assim, passou a ser considerado foragido da Justiça. Conforme o delegado, as buscas foram realizadas na residência do investigado. "No local, foi apreendida farta documentação que havia sido subtraída da Prefeitura de Mãe do Rio, município em que desenvolveu a função de prefeito até o final do ano de 2016", explica. "Foram alvos de investigação diversos contratos de empresas dos mais variados ramos com o município. Desde fornecimento de serviço funerário, marmitas e transporte escolar, hospedagem e asfaltamento, além de outras irregularidades constatadas nas investigações", detalha. O delegado também informa que foi constatado o desaparecimento de documentos referentes aos contratos da Prefeitura.
R$ 4 milhões desviados
Além dessas irregularidades, as investigações mostraram a falta de prestação de contas aos órgãos de controle, fato que também configura crime apurado no inquérito policial. Além de crime de subtração de documentos públicos, o ex-prefeito foi investigado por crime de peculato e outros crimes afins relacionados a desvios de recursos públicos e corrupção praticada por integrantes de uma organização criminosa em coautoria aos secretários municipais da época, servidores públicos municipais de Mãe do Rio e outras pessoas, como empresários, que mantinham contratos com o município. "Estima-se que os valores subtraídos ultrapassem a cifra de R$ 4 milhões. A prática delituosa gerou danos significativos aos cofres públicos e à população de Mãe do Rio", destaca o policial civil.
Além de José Ivaldo, estão presos o ex-secretário municipal de Finanças, João José Canuto de Moraes; a ex-secretária de Educação, Lana Regina Cordeiro de Oliveira; a ex-secretária de Assistência Social, Antônia Edilaura Tavares Lopes; o empresário Everaldo Manoel Rodrigues dos Reis, conhecido na região como Zé do Caixão; o empresário João Paulo de Freitas Oliveira, e o ex-secretário municipal de saúde de Mãe do Rio, Francisco Gonzaga de Queiroga Sobrinho, que se entregou em 13 de setembro, na DRCO em Belém. Os demais foram presos durante a deflagração da operação Dilúvio. A fim de garantir o ressarcimento ao erário público do que foi desviado, os investigados na operação tiveram seu patrimônio judicialmente bloqueado, ficando indisponíveis veículos, imóveis e valores que existam em conta bancária até o total de R$ 1 milhão.
Tanto o ex-prefeito José Ivaldo quanto o ex-secretário Francisco Sobrinho tentaram revogar as ordens de prisão preventiva contra eles determinadas pelo juiz Cristiano Magalhães, de Mãe do Rio, mas os recursos foram indeferidos pelo Tribunal de Justiça do Estado. As investigações da Polícia Civil ficaram a cargo da Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas, vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), em conjunto com a Promotoria de Justiça do Ministério Público em Mãe do Rio, por meio da promotora Andressa Ávila, e do delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da DRDP. O preso foi encaminhado ao presídio sob responsabilidade da Superintendência do Sistema Penitenciário, local em que ficará recolhido à disposição da Justiça.
G1-Pá

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Belém: Elevador cai com 11 pessoas, incluindo deputados estadual

Um elevador do prédio da Superintendência Desenvolvimento Amazônia (Sudam) despencou, na tarde desta quinta-feira (05), com 11 pessoas. Algumas ficaram feridas, incluindo entre as quais os Deputados Estaduais Eraldo Pimenta e Osório Juvenil, ambos do PMDB.
O Deputado Osório apresentou iniciam ente problemas na coluna, já o Deputado Eraldo Pimenta inicialmente retomou a rotina de trabalho participando da reunião na SUDAM, porém, apresentou dores e foi levado ao Hospital para exames.
As pessoas que estavam no elevador iriam participar de uma cerimônia de liberação de verbas para os municípios paraenses. Equipes do Corpo de Bombeiros e quatro ambulância já estão no local para resgatar os feridos.

DOL

MONTE ALEGRE: Vereador é condenado com cassação de mandato e inelegibilidade por 8 anos

Vereador Duca Pescador
A Justiça Eleitoral julgou procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) ajuizada por Luciano Augusto Araujo da Costa, Promotor Eleitoral à época e determinou a cassação de mandato e inelegibilidade por 8 anos do vereador Manoel Dantas Vieira, também chamado de “Duca Pescador”, além de multa no valor de 10.000 Unidades Fiscais de Referência (Ufir’s). Ele é acusado de ter praticado captação ilícita de voto e abuso de poder econômico nas eleições de 2016. A sentença saiu no dia 29 de setembro.
O fato foi descoberto após informações recebidas sobre a possível prática criminosa de compra de votos nas proximidades do posto de combustível Equador, no bairro da Cidade Baixa em Monte Alegre. Foi aduzido que Robson Luís Magno da Silva, cidadão comum, estaria abastecendo com gasolina inúmeras motocicletas de eleitores, no valor de R$20,00 em troca de voto para o candidato Manoel Dantas Vieira.
Por meio de uma medida cautelar requerida pelo Ministério Público do Estado, o delegado de polícia Almir Alves no dia 2 de outubro realizou uma busca e apreensão em uma residência onde Robson costumava frequentar próxima ao posto de combustível. No local foram encontrados dentro de um cesto de lixo os seguintes itens: R$ 140,00 em espécie; uma lista contendo vários prenomes de pessoas e informações sobre o abastecimento de motos e carros; cartão bancário em nome de Robson Luiz Magno Silva; uma agenda pessoal com relação de distribuição de combustíveis, lista de valores distribuídos e uma nota fiscal de compra de combustíveis no valor de R$731,00.
Após a abordagem a Robson Luis a autoridade policial efetivou a prisão em flagrante do acusado, além disso, durante a tramitação da fase inquisitiva, várias testemunhas presenciais relataram fatos de que o vereador “Duca pescador” captou ilicitamente sufrágio e abusou de seu poder econômico. Na mesma Ação de Investigação Judicial Eleitoral de Manoel Dantas Vieira, houve também a condenação de Esmeralda Barbosa Pereira que, junto com Robson Luís Magno, agiram para beneficiar o candidato a vereador.
"Toda a conduta delituosa de Robson Luís não deixa qualquer dúvida da capitação ilegal de sufrágio, bem como o caracterizador do evidente abuso do poder econômico", frisou o promotor Luciano Costa.
O processo referente a Robson Magno foi desmembrado e continua na fase de instrução.
O andamento do caso
O promotor de justiça Luciano Costa acompanhou o processo até a fase decisória. Atualmente, a ação judicial está sob acompanhamento da atual promotora eleitoral Francisca Paula Morais da Gama, que inseriu embargos de declaração para esclarecer as consequências da anulação dos votos obtidos por Manoel Dantas e o fizeram assumir o cargo de vereador.
Texto: Gabriel Pinheiro, com informações da PJ de Monte Alegre
Revisão: Edyr Falcão

ADOLESCENTE E ENCONTRADA MORTA COM SINAIS DE ESTRANGULAMENTO NA CIDADE DE MEDICILÃNDIA

A Polícia Civil tenta desvendar mistério na morte de uma adolescente em Medicilândia, menina de 13 anos foi encontrada morta, sinais no chão intrigam a cidade Em Medicilândia, sudoeste do Pará, nas primeiras horas desta quinta-feira (5)a Polícia Militar foi acionada por moradores que escutavam gritos próximo ao Fórum na Rua Doze de Maio, a guarnição ao chegar no local já foi abordada por uma senhora que estava desesperada, o alarde logo foi explicado para os policias pela senhora de iniciais M. I. C, ela contou que sua filha de apenas 12 anos de idade tinha uma companheira, uma outra adolescente de 13 anos, a qual foi encontrada no chão de sua residência com marcas de violência, o SAMU foi acionado e ao chegar no local nada pôde ser feito pois a adolescente já estava morta.
A vítima apresentava sinais de estrangulamento no pescoço por corda, a adolescente foi encontrada pela namorada com manchas de sangue e cortes pelos braços, a namorada foi ouvida pela pela polícia civil da cidade que investiga o caso. Polícia Civil investigar o Caso para Saber o que realmente aconteceu . 
Por: Edlene Gonçalves 

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

PF faz operação em Uruará contra roubo de madeira na Terra Indígena Cachoeira Seca

Madeira ilegal era exportada para os EUA, Europa e Ásia. Dano 
ambiental decorrente do desmatamento é estimado em aproximadamente R$ 900 milhões.
A Polícia Federal no Pará deflagrou na manhã desta quarta-feira (4) a Operação Anhangá Arara, de combate à extração ilegal de madeira nobre na Terra Indígena (TI) Cachoeira Seca. De acordo com a PF, um grupo empresarial composto por familiares fazia a extração em áreas protegidas e exportava para outros continentes. O dano ambiental estimado é de cerca de R$ 900 milhões.
Foram expedidos pela Justiça Federal de Altamira, no sudoeste do Pará, 10 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor, 11 mandados de sequestro de bens e valores e 6 mandados de busca e apreensão em empresas e casas dos investigados, além da suspensão das atividades das empresas envolvidas no esquema.
Cerca de 40 policiais federais participam da operação nas cidades de Uruará, Placas, Rurópolis, Santarém, Castelo dos Sonhos e Altamira, no Pará; em Porto União (SC), Curitiba (PR) e União da Vitória (PR).
Investigações
De acordo com a PF, a investigação começou após relatório da Operação Cachoeira Seca, realizada pelo Ibama, que apontou que a TI Cachoeira Seca estava sendo alvo de exploração ilegal de madeira. Durante as averiguações foi identificado um grupo empresarial composto por familiares, cujo o patriarca era o responsável pela coordenação da extração ilegal de madeira em áreas protegidas e por escoar a madeira para as empresas do grupo familiar. 
Para burlar a fiscalização e dar teor legal à madeira, o grupo fraudava créditos florestais por meio de inserção de dados falsos no Sisflora, além de utilizar Planos de Manejo Florestal de fachada. Depois a madeira era transmitida entre empresas do grupo até ser exportada por meio de portos de Belém e do Sul do Brasil.
O destino da madeira abrange os continentes Americano (EUA, Panamá, Argentina), Europa (França, Reino Unido, Alemanha) e Ásia (Emirados Árabes Unidos, Coreia do Sul). Segundo laudo pericial da Polícia Federal, estima-se o dano ambiental em um valor aproximado de R$ 574.912.424,78, referente exclusivamente às atividades de extração ilegal de madeira do interior da Terra Indígena Cachoeira Seca e R$ 322.145.395,69 referentes aos produtos florestais extraídos ou destruídos quando da abertura das áreas classificadas como “corte raso”, totalizando um valor de R$ 897.057.820,47.
G1-Pá